Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » Blog » Ciúme

Ciúme

Postado por anamagarreiro, em 23 Novembro 2013 na Patologias

Suspeitas de infidelidade contínuas, controle obsessivo, interrogatórios intermináveis ​​… Não se engane, sofrer uma forma leve de ciúme é mesmo lisonjeiro para a resposta emocional normal num casal, mas se sofre desproporcionalmente, o ciúme pode tornar-se patológico.

O que é o ciúme patológico?

O ciúme patológico num casal é uma emoção desagradável e destrutiva, caracterizada por preocupações excessivas, irracionais e completamente infundadas sobre uma suposta infidelidade que leva a uma preocupação constante e controle frequente do parceiro.

O ciúme causa um sofrimento enorme na pessoa que sofre, e, em muitos casos, acaba por destruir o casal se este não procurar ajuda para ultrapassar a situação. A pessoa ciumenta está plenamente convencida da infidelidade do parceiro e organiza a sua vida sofrendo de ansiedade, raiva e medo.

Estas suspeitas muitas vezes soam como o resultado de uma série de estímulos que em si não provam a existência de infidelidade (chegando a casa mais tarde, falando demais ao telefone com outra pessoa , etc.)

Para confirmar as suas suspeitas, a pessoa com ciúme patológico consulta frequentemente a agenda do parceiro, o seu telemóvel, o e-mail , etc., controlando-o desta forma.

Normalmente, as pessoas invejosas tentam submeter o seu parceiro aniquilando a sua autonomia e limitando as suas atividades e relacionamentos para situações em que a pessoa ciumenta se sente segura.

Por todas estas razões, o ciúme patológico pode levar ao isolamento do casal. O questionamento contínuo e as acusações podem chegar a um nível de asfixia de tal forma que o parceiro decide omitir situações para evitar conflitos.

Em muitas destas situações, a pessoa que é controlada acaba por ser infiel, seja por despeito ou apenas porque o amor terminou devido ao desgaste emocional.

Porque são as pessoas são excessivamente ciumentas?

Em maior ou menor grau, todos nós já sentimos inveja. Mas não se confunda uma dose moderada de ciúmes com o ciúme patológico.

Que motivos alguém a ter ciúme patológico?

A insegurança e sentimentos de inferioridade muitas vezes levam a que a pessoa não se sinta digna do seu parceiro, que considera superior, criando desconfiança.
Experiências familiares: aqueles que, por exemplo, conviveram com o ciúme na família ou testemunharam casos de infidelidade, tendem a desenvolver comportamentos ciumentos.
Relacionamentos anteriores: aqueles que sofreram uma desilusão ou infidelidade são mais propensos a desenvolver o ciúme patológico.
Por outro lado, algumas pessoas sentem inveja porque  são muito possessivas e não querem partilhar o seu parceiro. Nestes casos, existe uma dependência emocional muito profunda: a pessoa imagina que precisa do outro para viver.
Podemos ter em conta algumas perturbações que desenvolvem o ciúme patológico. Nas personalidades paranóicas, por exemplo, os pacientes tendem a desconfiar de outras pessoas e, portanto, têm perfis de comportamento que os predispõe as ciúmes.
O Tratamento psicológico do ciúme patológico:

No tratamento do ciúme patológico, a  terapia psicológica  foca-se em dois objetivos principais.

Por um lado, o tratamento do ciúme patológico deve ter como objetivo pôr fim às suspeitas de infidelidade irracionais, ou seja, visa mudar os pensamentos irracionais de que o parceiro será infiel.

A Terapia também se concentra em mudar os comportamentos destinados a verificar as suspeitas: seguir os passos do parceiro, ler as suas mensagens no telemóvel, etc.

Não podemos esquecer que por detrás do ciúme patológico geralmente existe um sentimento de insegurança e inferioridade. Estas são caraterísticas da personalidade da pessoa que devem ser trabalhadas.

Além disso, sugere-se que haja um processo terapêutico com uma frequência assídua. É recomendado o envolvimento do outro parceiro no sentido de melhorar as competências de comunicação e estimular a aprendizagem de estratégias de resolução de conflitos.

Em suma, a terapia de casais pode ajudar a ultrapassar os comportamentos nocivos do ciúme patológico. Quanto mais cedo se identificar esta perturbação, mais provável é o casal manter a sua relação. O ITAD está à sua inteira disposição para o ajudar a resolver este problema.

Palavras relacionadas:

Comentários

1 comentário para "Ciúme"

  • Ruben
    27.06.2015

    Boas, sou o Ruben tenho 22 anos, sou do Porto. Estou a esrever porque sou uma pessoa muito muito ciumenta, de apagar redes socias, suspeitar ate de amigos, ficar a imaginar coisas. E acabo por ter uma mente fechada e parte da minha felicidade nao e consguida por ser uma pessoa assim. Pois tenho nocao na pessoa que me tornei com os ciumes. Mas so gostava de ficar mais liberal mais calmo sem ciumes estupido, gostava de confiar.. Obrigado

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *