Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » Burnout na Profissão Docente

Burnout na Profissão Docente

O burnout na Profissão Docente pode ser considerado como um fenómeno complexo e multidimensional resultante da interacção de aspectos individuais e do ambiente de trabalho, que não deve ser reduzido ao contexto de sala de aula, ou da escola, mas ter em conta factores macrossociais, como políticas educativas e factores sócio-históricos.

Burnout na Profissão Docente

Burnout é o termo utilizado para descrever este fenómeno, sendo um termo da cultura anglo-saxónica que designa um estado de fadiga física e psicológica e que, em português pode ser traduzido como “esgotamento”.

Ao longo dos tempos tem-se assistido a mudanças significativas na sociedade, com alterações a vários níveis, nomeadamente social, político, económico, científico e tecnológico, provocando efeitos evidentes na vida das pessoas. Estamos também perante uma nova forma de estar na vida, o que conduziu a uma maior preocupação com a qualidade de vida.

Nos últimos 20 anos, as transformações sociais, políticas, económicas e tecnológicas provocaram profundas mudanças ao nível do sistema educativo.

Ensinar hoje é diferente do que era há 20 anos atrás. A evolução da sociedade tende a afetar à escola um conjunto cada vez mais alargado de funções e, consequentemente, à atuação do professor. A indefinição de funções e a dificuldade em realizá-las adequadamente é um problema que se coloca aos professores atualmente.

As relações entre os professores e os alunos sofreram também mudanças profundas. Se antes o professor tinha todos os direitos e o aluno só deveres, atualmente, e de uma forma igualmente injusta, o aluno pode permitir-se, com bastante impunidade, a diversas agressões verbais, físicas e psicológicas aos professores e aos colegas.

Paralelamente, o professor tem ainda de adaptar-se às constantes alterações introduzidos no sistema educativo, pelos sucessivos Governos, muitas vezes contraditórias com as tomadas pelos Governos precedentes.

O burnout nos professores pode ser considerado como um fenómeno complexo e multidimensional resultante da interação de aspetos individuais e do ambiente de trabalho, que não deve ser reduzido ao contexto de sala de aula, ou da escola, mas ter em conta fatores macrossociais, como políticas educativas e fatores sócio-históricos.

Caracteriza-se por um conjunto de sentimentos, emoções e comportamentos que se desenvolvem em consequência do trabalho desempenhado, nomeadamente perda de interesse pelos alunos, distanciamento psicológico em relação ao trabalho, aumento do absentismo (inclusivamente por doenças), reformas antecipadas, desinvestimento na preparação das aulas, tendência para exagerar na rigidez e inflexibilidade, dificuldade em encontrar interesse e esforço nos alunos, esgotamento, frustração e perda de compromisso profissional.

Tratamento psicológico para Síndrome de Burnout

O tratamento para Síndrome de Burnout deve ser orientado por um psicólogo e psiquiatra e, normalmente, é feito através da combinação de medicamentos e terapias durante 1 a 3 meses.

A Síndrome de Burnout, que ocorre quando o indivíduo se sente exausto devido ao stress excessivo provocado pelo trabalho, exige que o paciente descanse para aliviar os sintomas, como dores de cabeça, palpitações e dores musculares, por exemplo.

O tratamento psicológico com um psicólogo é muito importante para os docentes com Síndrome de Burnout, pois o terapeuta ajuda o paciente a ultrapassar o stress, já que proporciona ao indivíduo a troca de experiências que ajudam a melhorar o autoconhecimento e a ganhar mais segurança no seu trabalho.

Além disso, ao longo do tratamento psicológico o paciente deve:

• Reorganizar o seu trabalho, diminuindo as horas de trabalho ou as tarefas que é responsável, por exemplo;
• Aumentar o convívio com amigos, para se distrair do stress do trabalho;
• Fazer atividades relaxantes, como dançar, ir ao cinema ou sair com os amigos, por exemplo;
• Fazer exercício físico, como caminhada ou Pilates, por exemplo, para libertar o stress acumulado.

O ideal é que o paciente faça ao mesmo tempo as várias técnicas para que a recuperação seja mais rápida e eficaz.

Quando o paciente com Síndrome de Burnout faz o tratamento de forma adequada, podem surgir sinais de maior confiança e diminuição da frequência das dores de cabeça e do cansaço.

Além disso, o docente começa a ter maior rendimento no trabalho, aumentando o seu bem-estar.

Obrigado pelo vosso interesse e espero ver-vos em breve na nossa clínica em Lisboa.

Dra. Cláudia Sofia Simões – Psicólogo em Lisboa
Clínica de psicologia ITAD
Psicólogo, Terapeuta da Fala e Terapeuta Ocupacional
Psicóloga na Clínica do Itad em Lisboa
Clínica de Psicologia ITAD
Av. Almirante Reis nº59 1ºEsq 1150-011 Lisboa – Portugal
211 371 412 – 961 429 911