Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » A Voz

A Voz

A voz pode transmitir estados emocionais, padrões sociais e culturais, valores e refletir a personalidade do indivíduo. É frequentemente um instrumento de trabalho e deve ser bem cuidada. Qualquer alteração do corpo ou mente pode influenciar a produção da voz.

A Voz

 

A voz pode transmitir estados emocionais, padrões sociais e culturais, valores e refletir a personalidade do indivíduo. É frequentemente um instrumento de trabalho e deve ser bem cuidada. Qualquer alteração do corpo ou mente pode influenciar a produção da voz.

A voz resulta da vibração das cordas vocais (situadas na laringe) que é provocada pela passagem do ar vindo dos pulmões.

Higiene Vocal

A Higiene vocal refere-se às normas gerais que contribuem para a preservação da saúde vocal e previnem alterações e doenças. São elas:

• Hábitos saudáveis
• Alimentação saudável
• Beber regularmente água durante o dia
• Postura
• Aquecimento e desaquecimento vocal
• Articular bem as palavras
• Relaxamento
• Momentos de repouso
• Evitar o RGE (refluxo gastroesofágico)

Exercícios Vocais

Os exercícios vocais são parte da prevenção da patologia vocal:

a) Aquecimento vocal
O aquecimento vocal é tão importante para o comunicador como o aquecimento físico é para o atleta e pode evitar lesões. O aquecimento vocal (10 minutos) tem como objetivo aumentar a temperatura muscular e o fluxo sanguíneo e contribui para a vibração adequada das pregas vocais.

Existem vários exercícios de aquecimento vocal, a título exemplificativo:

• Relaxar e alongar a cabeça, o pescoço, os ombros e as pernas;
• Encher uma bochecha com ar e empurrá-lo de uma bochecha para a outra;
• Tocar com a ponta da língua no interior das bochechas;
• Dar estalinhos com a língua;
• Colocar a língua fora da boca e esticá-la primeiro até ao nariz, depois até ao queixo e por fim tentar que alcance cada uma das orelhas (lateralização);
• Esticar a língua horizontalmente para fora e recolhê-la rapidamente;
• Empurrar suavemente o cano da laringe com os dedos de um lado para outro;
• Mastigar com a boca fechada e emitir o som «MMM»;
• Vibrar os lábios e/ ou língua, fazendo respetivamente os sons «BRRRR» e «TRRRR».

b) Desaquecimento vocal
O objetivo do desaquecimento vocal é levar a voz novamente ao ritmo fonorrespiratório da voz coloquial.
São exemplos deste:

• Fazer repouso vocal;
• Bocejar;
• Relaxar e alongar cabeça, pescoço, ombros e pernas.

Disfonia

Ocorre quando uma ou mais caraterísticas vocais estão alteradas (altura, intensidade e/ ou qualidade da voz). A maioria das alterações da voz são ocasionadas pelas constantes formas de abuso e mau uso vocal e por doenças, que devem ser diagnosticadas o mais precocemente possível.

a) Sinais de alerta
• Cansaço vocal;
• Rouquidão;
• Redução da capacidade de projeção vocal;
• Quebra da extensão da voz ao longo do dia;
• Dor laríngea ou faríngea;
• Necessidade de pigarrear;
• Aumento da tensão laríngea e faríngea;
• Sensação de corpo estranho na garganta;
• Tensão no pescoço.

b) Quem devemos consultar

Otorrinolaringologista e, dependendo do parecer deste, um terapeuta da fala

c) Patologias da voz mais frequentes

• Nódulos;
• Pólipos;
• Edema das cordas vocais;
• Fenda glótica;

Todas estas alterações são benignas e podem aparecer numa ou nas duas cordas vocais, interferindo com a vibração.

Abuso Vocal

Qualquer esforço que possa ter um efeito traumático nas cordas vocais. São exemplos destes:

• Gritar, gargalhada hilariante;
• Vocalizações tensas;
• Uso contínuo da voz;
• Uso frequente de ataques glotais;
• Uso excessivo da tosse e pigarreio;
• Cantar com técnica inapropriada;
• Cantar em ambientes poluídos;
• Vocalizações de forma abusiva e em condições debilitantes;

Mau uso vocal

Qualquer uso incorreto da voz do ponto de vista da altura tonal (frequência) ou da intensidade. São exemplos deste:

• Voz de intensidade forte;
• Voz de sussurro;
• Falar muito depressa;
• Falar ou cantar num tom de voz desadequado.

Prevenção (abuso e mau uso vocais)

Alguns procedimentos a adoptar para cada comportamento incorreto:
• Postura incorreta – Quando falar tenha em atenção que o corpo esteja alinhado e relaxado;
• Falar quando está doente (gripe, garganta inflamada) – Beber muita água (temperatura ambiente) e repousar a voz enquanto repousa o corpo;
• Gritar – Usar formas não vocais, palmas, assobios; campainhas, apitos, etc.
• Uso excessivo da tosse e pigarreio – Bocejar para relaxar a garganta; engolir lentamente e beber um pouco de água.
• Falar durante a prática de exercício físico – Espere que a sua respiração volte ao normal, de forma a que a sua produção vocal ocorra sem esforço.
• Falar em ambientes poluídos e ruidosos – Tente reduzir o ruído de fundo. Coloque-se próximo e fale de frente para a pessoa a quem se dirige. Espere que os interlocutores estejam em silencio e prestem atenção.
• Utilizar voz de sussurro (voz de segredo) – Fale no tom de voz normal;
• Dizer frases longas, muito depressa e em esforço vocal – Fale pausadamente, respirando sem esforço e adeque a respiração ao tempo de fonação.
• Inícios de produção vocal bruscos – Manter a garganta relaxada quando começar a falar.
• Cantar com técnica inapropriada – Procure ajuda profissional para a formação de voz.
• Falar durante um longo período de tempo e a grande distância – Aproxime-se para que o possam ouvir sem ter de gritar. Aprenda técnicas de projeção vocal adequadas.

Refluxo gastroesofágico e faríngo laringeo

Ocorre quando o conteúdo ácido do estômago volta para trás em direção ao esófago, às cordas vocais (laringe) ou à garganta (faringe).

A existência de refluxo condiciona a qualidade vocal, sendo necessário o seu controlo.

Obrigado pelo vosso interesse e espero ver-vos em breve na nossa clínica em Lisboa.

Dr. Sérgio Filipe Pereira – Psicólogo em Lisboa
Clínica de psicologia ITAD
Psicólogo, Terapeuta da Fala e Terapeuta Ocupacional
Psicóloga na Clínica do Itad em Lisboa
Clínica de Psicologia ITAD
Rua Professor Fernando da Fonseca N8A. 1600-618 Lisboa – Portugal
211 371 412 – 961 429 911