Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » Depressão na adolescência: os sinais de alarme!

Depressão na adolescência: os sinais de alarme!

A verdadeira depressão na adolescência é muitas vezes difícil de diagnosticar, porque os adolescentes normais tem alterações de humor, este pode alterar-se durante um período de horas ou de dias. É preciso saber identificar os sinais de alarme da Depressão na adolescência.

Depressão na adolescência: os sinais de alarme!

Os sinais de alarme que significam que os pais devem procurar ajuda médica, são:

 Mudanças físicas e emocionais;
 Pressão entre pares ou medo de não corresponder às expetativas dos pais;
 Sentimentos de tristeza;
 Perda de interesse persistente e que afeta todas as esferas da vida do adolescente.

A depressão afeta a forma como o adolescente pensa, sente e se comporta, podendo causar problemas físicos, emocionais e até funcionais.

Fatores de risco

Existem fatores que aumentam o risco de desenvolver ou desencadear a depressão no adolescente, como:

 Ser do sexo feminino – a depressão é mais frequente em raparigas;
 Obesidade;
 Baixa autoestima;
 Problemas de relacionamento;
 Bullying;
 Ter sido vítima ou testemunha de violência física ou sexual;
 Ter anorexia ou bulimia;
 Ter uma perturbação de aprendizagem;
 Ter uma doença crónica;
 Consumir tabaco, bebidas alcoólicas ou drogas;
 Alteração da orientação sexual;
 Ter um pai, avô ou outro familiar com depressão, transtorno bipolar ou problemas de alcoolismo;
 Ter um membro da família que se suicidou;
 Ter passado por eventos recentes traumatizantes, como a morte de um familiar ou o divórcio dos pais.

Sintomas da depressão nos adolescentes

Em geral, a depressão pode alterar ou falsear a maneira como os adolescentes se veem a si mesmos e às suas vidas, bem como as pessoas ao seu redor.

Os adolescentes com depressão costumam ver tudo de uma forma negativa, são incapazes de imaginar que um problema ou situação pode ser resolvido de uma forma positiva.

Alguns ou todos estes sintomas de depressão podem estar presentes:

 Agitação, inquietação e irritabilidade;
 Alterações do apetite (em geral, perda de apetite, mas, por vezes, um aumento);
 Dificuldade de concentração;
 Dificuldade em tomar decisões;
 Episódios de perda de memória;
 Fadiga;
 Sentimentos de inutilidade, desespero, tristeza ou ódio a si mesmos;
 Automutilação;
 Perda de interesse ou prazer em atividades que antes eram divertidas;
 Pensam ou falam sobre suicídio ou morte;
 Dificuldade em dormir, sono excessivo, ou sonolência diurna.

Diagnóstico

A verdadeira depressão na adolescência é muitas vezes difícil de diagnosticar, porque os adolescentes normais tem alterações de humor, este pode alterar-se durante um período de horas ou de dias.

Por vezes, quando se pergunta diretamente a uma criança ou adolescente o que ele sente, ele vai dizer que não está feliz nem triste. Os prestadores de cuidados de saúde devem sempre fazer a pergunta com base nos sintomas da depressão.

Informações dadas por familiares ou funcionários da escola, podem ajudar a identificar a depressão nos adolescentes.

Tratamento

As opções de tratamento para adolescentes com depressão incluem cuidados de suporte médico, acompanhamento psicológico, e possivelmente medicação antidepressiva. É importante que o tratamento seja adaptado ao adolescente e à gravidade dos seus sintomas.

As famílias devem participar frequentemente no tratamento da depressão nos adolescentes.

As crianças e adolescentes que tomam medicamentos devem ser seguidos por um médico para avaliar os efeitos colaterais.

A psicoterapia pode ajudar os adolescentes a entender as questões que podem estar a causar o seu comportamento, pensamentos ou sentimentos.

Tipos de terapia

 A terapia cognitiva-comportamental que ensina maneiras de combater os pensamentos negativos. Um adolescente com depressão pode aprender a ser mais consciente dos sintomas, detetar o que parece piorar a depressão, e aprender habilidades de resolução de problemas.
 A terapia familiar pode ser útil se os conflitos familiares estiverem a contribuir para a depressão. O apoio da família ou dos professores também podem ser necessários para ajudar com os problemas da escola.

O que os pais devem fazer:

Diante um ou mais sinais de alarme, os pais devem conversar com o adolescente, tentar perceber o que este está a sentir. Se os sintomas de depressão se mantiverem, os pais devem aconselhar-se com o pediatra ou numa consulta de Psicologia.

No entanto, é fundamental não esperar muito tempo – os sintomas de depressão não melhoram por si só e tendem a agravar-se se não forem tratados.

A depressão na adolescência pode conduzir ao suicídio, mesmo que os sinais e sintomas não pareçam muito graves.

Cuidado!

Se o adolescente falar sobre morte e suicídio, procure ajuda especializada, aconselhe-se com o médico e peça o apoio de familiares e amigos enquanto lida com a situação.

Obrigado pelo vosso interesse e espero ver-vos em breve na nossa clínica em Lisboa.

Dra. Cláudia Sofia Simões – Psicóloga em Lisboa
Clínica de psicologia ITAD
Psicólogo, Terapeuta da Fala e Terapeuta Ocupacional
Psicóloga na Clínica do Itad em Lisboa
Clínica de Psicologia ITAD
Rua Professor Fernando da Fonseca N8A. 1600-618 Lisboa – Portugal
211 371 412 – 961 429 911