Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » Funções Orais

Funções Orais

Para pensarmos em funções orais, temos que incluir as estruturas da região oral, bochechas, nariz, face e pescoço.
Todos estes órgãos têm como função, sugar, mastigar, engolir, falar, respirar e fazer mímica facial.

Funções Orais

Quais são as funções orais?

A região oral é formada por diversão estruturas, sendo elas, lábios, língua, dentes, maxila, mandibula, palato mole, palato duro e músculos da face.

Para pensarmos em funções orais, temos que incluir as estruturas da região oral, bochechas, nariz, face e pescoço.

Todos estes órgãos têm como função, sugar, mastigar, engolir, falar, respirar e fazer mímica facial.

Todas estas funções se relacionam, evoluem e adaptam, ao seu uso permitindo um bom desenvolvimento funcional e anatómico da criança. Para que tal aconteça é importante que haja uma estimulação correta.

Alguns dos hábitos orais podem-se tornar indesejáveis ao longo do tempo, provocando alterações nas estruturas orofaciais e por consequência alterações no processo de desenvolvimento da criança.

O uso prolongado dos hábitos orais, podem provocar problemas como: mordida aberta, mordida cruzada, inclinação dos dentes, alterações no padrão de deglutição, dificuldades na fala, problemas respiratórios e desequilíbrio da musculatura facial.

Quais os principais hábitos e alterações nas funções orais?

1- Sucção na chupeta, tem como função alimentar e satisfazer a musculatura oral e encontra-se associada ao nível emocional do bebê.

Apesar do uso da chupeta ortodôntica propiciar o fortalecimento da musculatura oral, é importante que o seu uso seja feito por curtos períodos de tempo e que não permaneça após os dois anos de idade, a fim de não causar alterações nos órgãos fonoarticulatórios, no desenvolvimento da arcada dentária, do palato, no posicionamento dos dentes, na respiração e na deglutição.

2- Biberão, quando alimentação é feita através do uso do biberão a criança não recebe estimulação sensório-motora adequada, o que pode originar uma deglutição atípica devido a hipotonia da musculatura perioral e lingual, com sequelas a longo prazo na deformação da arcada dentária e de palato.

3- Sucção digital, a sucção é um ato reflexo que se torna gradualmente voluntário a partir do terceiro mês de vida. Até essa idade se o bebé tiver fome, levará à boca o dedo ou a mão como uma resposta reflexa.

Os prejuízos causados pela sucção digital prolongada, são geralmente maiores do que aqueles causados pela sucção da chupeta, estão relacionados com alterações nos maxilares, como mordida aberta, cruzada e profunda, dependendo da posição em que o dedo é levado à boca, da força durante a sucção, ou da posição da mandíbula durante a sucção.

4- Onicofagia, caracteriza-se pelo ato de roer unhas, que se inicia geralmente por volta dos quatro ou cinco anos de idade. Esse período pode estar relacionado com mudanças sociais e emocionais na vida da criança. A onicofagia pode causar má oclusão dentária.

5- Alterações na respiração, estas podem provocar alterações musculares e ósseas, que geram assimetrias faciais, otites, obstrução nasal, olheiras, alterações na mordida, alterações no rendimento escolar, hipotonia labial, lingual e das bochechas, alterações no crescimento facial, problemas de fala, diminuição do crescimento físico e alterações no posicionamento da língua.

6- Alterações na deglutição, quando o padrão de deglutição é normal a língua assume uma posição elevada, indo de encontro ao palato duro. Quando existe uma inadequação a língua assume uma posição contra a superfície lingual dos dentes incisivos e caninos, ou a protusão lingual entre as arcadas dentárias durante o período de repouso ou deglutição.

Como tratar os hábitos orais?

A forma de tentar eliminar os hábitos orais, tem que ter como principal foco eliminar a causa dos mesmos. A família e a criança devem ser esclarecidas sobre os motivos que causam o hábito e mostrar a importância que o apoio familiar tem sobre o resultado do tratamento. A motivação da criança para a eliminação do hábito é fundamental.

O tratamento deve passar por um profissional de saúde, como o terapeuta da fala, o psicólogo e o dentista. O papel destes profissionais é conduzir as estratégias do tratamento e orientar os pais e a criança no sentido de melhor conduzir o comportamento desta perante o seu hábito.

Obrigado pelo vosso interesse e espero ver-vos em breve na nossa clínica em Lisboa.

Dra. Sónia Rosado – Terapeuta da Fala em Lisboa
Clínica de psicologia ITAD
Psicólogo, Terapeuta da Fala e Terapeuta Ocupacional
Psicóloga na Clínica do Itad em Lisboa
Clínica de Psicologia ITAD
Rua Professor Fernando da Fonseca N8A. 1600-618 Lisboa – Portugal
211 371 412 – 961 429 911