Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » Primeiros Socorros “Terapêuticos”

Primeiros Socorros “Terapêuticos”

Os Primeiros Socorros “Terapêuticos” são um dos melhores exemplos de que o saber não ocupa lugar, aliás podem ser bastante úteis.

Primeiros Socorros “Terapêuticos”

Tanto na sala de atendimento (consultas de psicologia, de terapia da fala…), como no percurso até esta podem existir incidentes ou ocorrências normais que precisam de tratamento especial. No caso destas já terem ocorrido, cabe ao adulto socorrer a criança, minimizando assim as consequências futuras, e confortá-la da melhor forma possível.

Abaixo são enumerados alguns dos incidentes mais propícios a ocorrem em contexto escolar.

Convulsões
As crianças podem ter ataques epiléticos ou convulsões motivadas por febre ou outros fatores (ex. infeções, ferimentos, doenças). Em caso de convulsão:
1) A criança não deve ser movida nem estar presa;
2) Deve estar num espaço livre de objetos a fim de não de magoar;
3) A cabeça deve ser virada para um dos lados para desimpedir as vias respiratórias;
4) Ligue ao médico após a convulsão.
(Nota – Todos os contatos com o médico devem ser realizados pelos responsáveis pela criança ou com a autorização destes).

Hemorragias nasais
Nunca se deve inclinar a cabeça para trás pois há o risco de o sangue ir para os pulmões e causar asfixia. Pelo contrário, deve-se colocar a cabeça virada para baixo de forma a que o sangue saia.
Se o sangramento for contínuo deve-se sentar a criança e apertar a parte inferior do nariz e permanecer assim no mínimo 5 minutos.
Caso a hemorragia permaneça deve contatar o médico ou dirigir-se às urgências.

Emergências respiratórias
Caso a criança não reaja:
1) Incline lentamente a cabeça para trás e eleve o queixo (abertura das vias respiratórias);
2) Verifique se existe respiração – examinar se o peito sobre e desce e ouvir e sentir o ar que sai da boca.

Caso a criança não reaja e também não respire:
1) ligue para o 112;
2) Comece a reanimação respiratória.

Reanimação respiratória:
1) Coloque a cabeça para trás, levante o queixo e tape toda a boca da criança com a sua;
2) Tape o nariz da criança com os dedos (aperte) para que o ar não saia;
3) Sopre lentamente 2 vezes seguidas até o peito começar a subir;
4) De seguida, de 3 em 3 segundos sopre lentamente.
(Nota – depois de cada sopro deve retirar a boca para o ar sair).

Lesões oculares
Exposição a químicos:
1) lave o olho com água corrente;
2) Contate o centro de informação antivenenos.

Outras lesões (ex.: feridas provocadas por lápis, ramos de árvore, etc): contate um médico. Se houver sangramento à volta do olho deve-se pressionar suavemente a área até este parar.
(Nota – nunca se devem aplicar gotas oculares).

Picadas de insetos
Não são perigosas na maioria dos casos, exceto se se tratar de crianças alérgicas a picadas ou de mordeduras de certos insetos. Na zona da picada/mordedura pode ser colocada uma compressa fria ou gelo. Um anti-histamínico também pode ser usado em caso de persistência do inchaço e comichão. Outra sintomatologia, persistência ou agravamento dos sintomas implicam consulta médica.
(Nota – Os sinais de alerta nestes casos alérgicos são palidez, pele fria e/ou suada, dificuldades respiratórias/ ruído respiratório).

Prevenção
– Não deixar bebidas adocicadas ao ar livre;
– Usar repelente.
(Nota – Os repelentes não devem ser usados em bebés e crianças pequenas, em mucosas, em feridas e na roupa interior).

Arranhões e escoriações
Lave com água e sabão e cubra com ligadura. Em caso de ser extensa ou existir algum material na ferida (vidro, lixo…) contate o médico.

Contusões
São pancadas fortes, podendo eventualmente ser perigosas se se localizarem na cabeça, peito ou abdómen. Nestes casos, e na presença de sintomatologia de alerta ou de sintomas comuns mas persistentes, deve contatar o médico.
Prevenção – utilizar equipamento protetor (cotoveleiras, joelheiras, capacete, etc) sempre que necessário;
– fixar armários e prateleiras à parede;
– usar portões de segurança;
– vigiar as criança;

Os cursos de primeiros socorros/ de reanimação cardiorrespiratória devem fazer parte da formação de profissionais de saúde, de educação, de geriatria e de muitos outros. Devem mesmo ser facultados às pessoas em geral, já que todos nós temos responsabilidade social e devemos estar aptos a socorrer ou a minimizar o sofrimento alheio.
Tanto em casa, como no carro e nos locais públicos deve existir um kit de primeiros socorros.

Obrigado pelo vosso interesse e espero ver-vos em breve na nossa clínica em Lisboa.

Dr. Sérgio Filipe Pereira – Psicólogo em Lisboa
Clínica de psicologia ITAD
Psicólogo, Terapeuta da Fala e Terapeuta Ocupacional
Psicóloga na Clínica do Itad em Lisboa
Clínica de Psicologia ITAD
Rua Professor Fernando da Fonseca N8A. 1600-618 Lisboa – Portugal
211 371 412 – 961 429 911