Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » Paralisia Cerebral

Paralisia Cerebral

A paralisia cerebral é uma perturbação neurológica que pode resultar de uma lesão ou disfunção do sistema nervoso central, no período de desenvolvimento- pré-natal, perinatal ou nos primeiros anos de vida, podendo ser de caráter permanente e não progressivo.

O que é a Paralisia Cerebral?
A paralisa cerebral é uma lesão que interfere no desenvolvimento motor da criança, que compromete a locomoção, postura, movimento, o uso das mãos e controlo no aparelho fonador, ou seja, coordenação muscular apresenta-se não correta e o tónus muscular está com alterações mais ou menos importantes.
A criança com paralisia cerebral pode ter uma inteligência normal ou até acima do normal.

Quais as causas?
As causas são complexas e variadas, no entanto podemos desde logo excluir uma base genética e, portanto, a transmissão de pais para filhos. Trata-se na maioria das vezes de fatores exógenos ao cérebro da criança, embora em muitos casos a sua etiologia seja desconhecida.
A paralisia cerebral pode ser o resultado de uma grande variedade de causas, sendo elas:
– Pré-Natais, podendo ser infeções maternais na gestação, rubéola, incompatibilidade sanguínea entre a mãe e o bebé, doenças sistémicas da mãe, como a diabetes, hipertensão arterial, cardiopatia, anemias graves, desnutrição, intoxicações, exposição a radiações e toxemias;
– Neonatais ou Perinatais, tais como prematuridade associada a hemorragia intraventricular, partos complicados, traumatismos mecânicos de parto, hipoxia ou anoxia, trauma no parto, deficiência na circulação cerebral, sofrimento fetal, associado a traumas obstétricos, placenta prévia, convulsões;
– Pós-Natais, podendo ser incompatibilidade sanguínea feto materna causadora de icterícia no recém-nascido, doenças infeciosas, como meningites e encefalites, problemas metabólicos, distúrbios vasculares, traumatismos crânio-encefálicos, tumores cerebrais, febres prolongadas e altas, desidratação com perda significativa de líquidos, envenenamento, hemorragias e outras formas de lesão cerebral que podem ser causadas por acidentes.

Quais os tipos de Paralisia Cerebral?
– Espástica – é caracterizada por paralisia e aumento de tonicidade dos músculos, resultante de lesões no córtex cerebral e vias daí provenientes;
– Disquinésia (Atetose/Coreoatetose ou Distonia) – é caracterizada por movimento involuntários e variações na tonicidade muscular, resultantes de lesões dos núcleos cerebrais;
– Ataxia – caracteriza-se pela diminuição da tonicidade muscular, incoordenação dos movimentos e equilíbrio deficiente, devido a lesão ou anomalia no cerebelo ou vias cerebelosas.

Como se manifesta?
Paralisia Cerebral é uma deficiência que afeta o desenvolvimento da criança. Esta pode-se manifestar de várias formas, sendo elas:
– Défices sensoriais, perturbações de visão e auditivas, dificuldades percetivas, epilepsia;
– Défice cognitivo – o desenvolvimento pode ser mais lento e limitado em relação às outras crianças;
– Alterações na motricidade, não segurar a cabeça, não se sentar, não andar ou movimentar-se de uma forma descontrolada e insegura;
– Dificuldades na alimentação, dificuldades nos movimentos dos lábios e língua que afeta a mastigação e a deglutição;
– Perturbações de comunicação/fala e/ou linguagem, dificuldades em expressar-se oralmente.

Qual é a incidência?
Segundo estudos a incidência de paralisia cerebral é estimada entre 0,6 e 5,9% para cada 1000 nascimentos. Nos países desenvolvidos, os cuidados médico hospitalares à gestante e ao bebé na hora do parto permitem que esses valores sejam menores. Nos países subdesenvolvidos, as condições de nutrição materna e infantis são precárias, o atendimento médico hospitalar é deficiente e a taxa de mortalidade infantil é elevada. Todos estes fatores vão contribuir para o aumento da taxa de incidência.

Avaliação:
A complexidade dos problemas da criança com paralisia cerebral demora sempre tempo até ser totalmente esclarecida. Para isso é necessário que haja uma avaliação realizada por uma equipa interdisciplinar constituída por: pediatra do desenvolvimento, neurologista, cirurgião ortopedista, terapeuta da fala, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, fisiatra, otorrinolaringologista e nutricionista.
Numa primeira fase de avaliação, estes técnicos avaliam as capacidades e necessidades da criança, e à medida que vai crescendo serão necessárias avaliações adicionais.

Competências do Terapeuta da Fala na Paralisia Cerebral:
O terapeuta da fala intervém em várias áreas com as crianças portadoras de paralisia cerebral, sendo elas: alimentação, fala, motricidade Orofacial, linguagem e comunicação aumentativa.
O principal objetivo do Terapeuta da Fala é facilitar ao máximo a possibilidade de uma Comunicação Funcional.

Estratégias para pais e professores:
Os pais e professores da criança com paralisia cerebral devem ter especial atenção à alimentação, nomeadamente a posição da anca da criança deve estar num ângulo de 90º; é importante manter a simetria do tronco e pés bem apoiados; quando a criança morder a colher nunca devem puxar e devem ainda tomar atenção à cor e ritmo respiratório da criança.
A criança deve ser o máximo possível estimulada em todas as áreas, através de jogos lúdicos, da convivência com outras crianças e adultos, favorecendo a sua inclusão em grupos.
As atividades realizadas devem promover a autoestima, impulsionar o contacto social e naturalmente a inclusão no meio envolvente.
É importante investir tempo na formação das emoções, pois vai-se verificar que as crianças com paralisia cerebral tenderão a ser mais confiantes, descontraídas e com mais facilidade em desenvolver amizades.
É importante que se promova a aquisição e domínio de saberes, de instrumentos, de capacidades, de atitudes e de valores.
Devem ser criadas condições para o desenvolvimento global e harmonioso da personalidade da criança, mediante a descoberta progressiva de interesses, aptidões e capacidades que proporcionem uma formação pessoal.

Dra. Sónia Rosado
Terapeuta da Fala do ITAD
Clínica de psicologia e terapia da fala em Lisboa
Rua Professor Fernando da Fonseca N8A. 1600-618 Lisboa – Portugal
211 371 412 – 961 429 911