Clínica de Psicología em Lisboa

ITAD » Blog » Diagnóstico da Esquizofrenia

Diagnóstico da Esquizofrenia

Postado por sergio, em 24 Agosto 2013 na Psicologos

O primeiro passo para iniciar o tratamento da Esquizofrenia é ter um diagnóstico adequado.

Diagnóstico da Esquizofrenia em Lisboa

Quanto mais cedo se iniciar o tratamento adequado, melhores serão os resultados a longo prazo. Trata-se de uma patologia complexa devido ao facto dos sintomas poderem ser similares a outros distúrbios cerebrais, como o Transtorno Bipolar ou até mesmo a Depressão.

Outra questão importante é a de que existem vários tipos de esquizofrenia e que cada um tem as suas características específicas. Uma pessoa com o diagnóstico da Esquizofrenia Paranóide não aceita que esteja doente e recusa-se a ir ao médico e nestes casos, torna-se necessário consultar um bom psicólogo ou médico experientes para diagnosticar e tratar a Esquizofrenia.

Estatistícamente, o diagnóstico da Esquizofrenia tanto aparece em mulheres como em homens de igual percentagem, sendo a idade de aparecimento geralmente entre os 20 e os 28 anos nos homens e nas mulheres entre dos 26 aos 32 anos.

Devido à complexidade do diagnóstico da Esquizofrenia, recomendamos que consulte a nossa Clinica do Instituto de Apoio e Desenvolvimento, em Lisboa, de modo a que os nossos psicólogos especializados possam realizar um bom diagnóstico e esteja certo do trastorno que poderá apresentar.

Se tem um histórico familiar de diagnóstico de Esquizofrenia, doença psiquiátrica, ou outras circunstâncias graves na sua família, deverá também consultar um médico ou psicólogo para despistar qualquer patologia ou trabalhar para prevenir o aparecimento desta.

Tal como acontece com a maioria das doenças graves, é importante obter um diagnóstico da Esquizofrenia e tratá-la o mais cedo possível. Começar um tratamento precocemente, melhorará significativamente as hipóteses de um indivíduo recuperar total ou parcialmente. Prevenir danos cerebrais ou outro dano causado pelos sintomas da doença ou por comportamentos que favoreçam a doença, é primordial.

Existem comportamentos de risco que podem favorecer ou piorar a condição mental do Esquizofrénico, como o consumo de drogas, a instabilidade emocional, familiar e laboral. Assim como outros comportamentos desviantes, estes são sinais de preocupação se tem propensão para o aparecimento da Esquizofrenia.

Palavras relacionadas:

Comentários

3 comentários para "Diagnóstico da Esquizofrenia"

  • Roseli
    16.12.2013

    Boa noite Sergio. Minha Mãe era Esquizofrênica Paranóica Psicósica faleceu em 94 de Morte Cerebral cuidei dela e vi todos sofrimento dela de ser internada varias vezes inclusive de camisa de força, foi muito traumático, para mim e meu dois irmão menores, os dois me abraçava chorando, embora eramos 6 irmãos. Eu trato minha Esquizofrênia a 13 anos embora havia começado mais cedo mais era um tratamento mal resolvidos, até que encontrei um hospital certo que é a Santa Casa no Rio de Janeiro Drª Elisa Papais Couto, Santa Casa fechou. Eu estou desesperada… Minha depressão está se agravando mesmo sabendo Burlar a doênça para continua seguindo minha vida, quando me encontro em crises o meu melhor Calmante que me alivia, relaxa e me acalma como uma droga potente é me Multilar só na região da Barriga para que ninguem veja e me faça perguntas, sou deficiente auditiva e mamãe também era. Eu estou correndo algum risco maior, lido com ela naturalmente como qualquer doença.
    Odeio Pessoas sou desconfiada, minha familia me odeia, não cuidam de mim, então eu que prontifico todos os médicos que preciso, sou solteira, não conseguir casar devidos traumas de abusos minha mãe foi a 1ª pessoa, só para acusar meu Pai, porque ele me protegia dos surtos dela toda madrugada ela queria me matar, então ele se arrumava e dormia sentado e ia para o trabalho, fui criada pela minha vó ela me deu na maternidade depois quiz de volta com 5 anos porque eu era linda demais, ainda dizem que sou linda, embora esteja obesa agora devido a depressão, mas só reconheci que era minha mãe com 14 anos quando uma psicólog pediu que eu lesse minha certidão, eu era deferente de todos e ainda sou, sou muito observadora, não corro atrás da verdade ela vem a mim e começo a rir, só olho e não falo nada, passei a amar-la, embora apanhei muito dela, mais não desisti de ama-la
    As raras palavras que ela não via nos labios nossos pq somos oralizadas, palavras Mãe, eu te amo, abraço, beijos carinho, eu compartilhava o mundo dela rindo com ela, de tanto brigar e lutar fui embora de casa para uma tia ela se desesperou, meu Pai pediu meu irmão ir me buscar, na rua quando ela me avistou correu me abraçou e disse promete não deixar mamãe?! Ela sentiu o que? Falta do meu amor, abraços e beijos, porque eu defendia ela das garras dos outros ela mudou da água para o vinho, mais calma menos agressiva embora no mundo dela, ela ria eu ria e perguntava nem tudo ela falava, mais era uma louca verdadeira, o que ela queria era amor e proteção. sou a quarta das filhas, minha unica irmã me odeia desde pequena, não acredita na minha depressão devido minha inteligencia e coragem, ela é orgulhosa da mesma forma que tratou mamãe ela me trata, mamãe antes de morrer eu quem fui em busca de médicos e remédios para ela, ela tinha pavor de ver roupa branca, então eu ia e conversava com minha Psiquiatria o que fazer e na manhã de sabado pai perguntou a ela o que sente ela disse muita dor na cabeça e abaixo do pescoço atrás, minha irmã disse para o pai que não era nada, minha vontade era chocar a cara dela, 13h da tarde ela veio falecer no mesmo dia, meu pai pediu que eu não falasse nada contra a lian
    fiquei tão triste, porque eu corrir fiz de tudo, e ela age da mesma forma comigo, não dou confiança, me cuido… O que aumenta a minha depressão é falta de amor e união da familia. Se eu tiver passando mal ou triste ninguem entra para ajudar ou perguntar se está melhor no meu quarto, moro com minha tia e a neta dela e meus irmão mora em volta do quintal, eu sou louca para sair desse quintal, meu irmão caçula saiu ele não aguentou a frieza da familia
    ele tá bem de vida, minha irmã é o Pivor desse inferno. Estou esperando me formar num curso técnico e trabalhar e conseguir uma casa, só minha pensão não dá… Todos os traumas estão aki em casa e na rua odeeiiooo esse lugar talvez isso me faz muito mal com certeza… Eu estou errada? O que eu faço com os meus sintomas??
    foi um prazer conversar com vc Drº Sergio Tenho alucinação auditiva, escuto muitos gritos de desesperos, barulhos sem sentido, musicas sem ter nada ligado, o que faço com esse processo ponho fone com musica que acaba o que pode explicar? Não tenho febre desde os 17 anos isso tem que ser investigado sim ou não, minha imunidade cai sempre na maior facilidade, ela é controlada com noni uma fruta exotica, com esse stress e depressão quem não desaba fiquei sem menstruar quase dois anos e ela volta fazendo uma bagunça hormonal infernal e estou na TPM Viu ta tudo Misturado, o que eu faço???? a familia desconfia que sou pedófila, isso jamais subiria ao meu coração, eu sei que isso, jamais faria com uma criança o que fizeram comigo, adoro criança, armaram até uma armadilha para mim, mas eu entendi a expressão da menininha, chorei tive crises me multilei, jamais faria isso eu não deixaria as crianças que eu amo entrar por esse beco, eles não tem ideia o que eu sofri, o que mais faço é proteger dos outros maus, me chama de lésbica sem eu ter vivido essa experiencia, não tenho coragem, eles batem tanto nessa tecla que isso pode incorporar esse mal, mas se um dia acontecer tudo bem, mais eu não um passo para isso, 1º que nem sei Paquerar, já fui paquerada, achei estranho, não gosto quando homem esbarra em mim
    não gosto de sentir chero deles, ou me tocar passo mal tenho crises, tentei meus namorados nunca levou uma semana, jamais chegou um mês, já tentei matar um no cinema, quase virei uma Psicopata cheia de ódio… Sou silenciosa, amorosa, carinhosa, inteligencia fora do normal… Não mataria as crianças mais sim a familia inteira e algumas pessoas que fazem parte do mesmo saco de farinha, aprendi uma técnica de matar sem fazer barulho sem veneno porque esse é meu prazer que aprendi com 17 anos, achei interessante, mais na verdade crime perfeito é dificil, se eu tiver viva, eu seria a unica suspeita e ficar vendo sol nascer quadrado não minha praia afff…
    minha tia me tira do sério me dá vontade de esfaquear pelas costas, mais como ela ta com pé na cova eu espero 86 anos… Dr] Sergio tem como me aJudar???

  • Carlos Farias
    22.11.2014

    Sou professor da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, Brasil.
    Tenho um filho esquizofrênico, com 26 anos de idade. Há três anos, ele trata com o psiquiatra e com a psicóloga.
    Quero estudar mais sobre o assunto, para ajuda-lo em sua melhora.
    Parabéns pelo site.

  • Antônio Césa da Silveira Júnior
    08.03.2016

    Olá. Sou filho de um paciente. Tenho um blog que expresso alguns sentimentos.
    Meu pai costumava fazer poemas pra expressar sua dor.

    Acho que isso é algo muito útil a familiares de outros doentes, pois é uma forma de compartilhar experiências e estimular que sentimentos reprimidos de tristeza, falta de compreensão, etc, sejam trabalhados.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *